10 aeronaves que revolucionaram a aviação comercial

Sikorsky Ilya Muromets, o primeiro avião desenvolvido para transportar passageiros; acabou sendo usado na Primeira Guerra Mundial pelo Império Russo

Sikorsky Ilya Muromets, o primeiro avião desenvolvido para transportar passageiros; acabou sendo usado na Primeira Guerra Mundial pelo Império Russo (Domínio Público)

1
Antes de Santos Dumont (e para outros, dos irmãos Wright), o mundo não era o mesmo. As pessoas levavam dias para fazer viagens hoje consideradas curtas, como entre as cidades de São Paulo e Rio de Janeiro, por exemplo; para cruzar oceanos, os percursos levavam semanas, senão meses. Conhecer o mundo era um sonho distante. Hoje, não é mais.

A aviação autopropulsada teve seu início com o brasileiro Santos Dumont, em 1906; porém, o primeiro avião desenvolvido com propósito comercial só foi lançado em 1913: o Sikorsky Ilya Muromets, avião russo projetado para transportar 16 passageiros em uma cabine de luxo.

Desde então milhares de aviões tomaram o ar, e diversas aeronaves históricas desenvolveram a aviação e conectaram o mundo até chegar ao ponto em que estamos hoje, mais de 100 anos depois, em uma era em que se pode viajar entre cidades, países e continentes em menos de um dia.

Confira abaixo uma lista com dez aeronaves comerciais que marcaram época, ajudando o ser humano a conquistar os céus.

SIKORSKY ILYA MUROMETS – 1913

Domínio Público

Desenvolvido em 1913 pelo antigo Império Russo, foi o primeiro avião projetado para uso comercial, com capacidade para 16 passageiros e uma autonomia de até mil quilômetros. A capacidade de carga e alcance do avião, porém, fez com que o avião fosse utilizado para bombardeios durante a Primeira Guerra Mundial, podendo carregar até 800 quilos de bombas,

JUNKERS F13 – 1919

Domínio Público

Com um desempenho de até 1,4 mil quilômetros e capacidade para quatro passageiros, foi utilizado para voos comerciais nos EUA, além de ser adotado pela Varig no Brasil. Chegava a 200 quilômetros por hora.

BOEING 247 – 1933

Domínio Público

É visto como um dos primeiros aviões comerciais modernos, com trem de pouso retrátil, fuselagem e asas de alumínio e com velocidade de até 320 quilômetros por hora. Foi a primeira aeronave com piloto automático, e foi utilizado na companhia brasileira Viação Aérea Bahiana, durante a década de 1940.

DOUGLAS DC-3 – 1935

Domínio Público

Com uma autonomia de 2,4 mil quilômetros e capacidade para 28 passageiros, proporcionou uma grande expansão da aviação comercial internacional; no Brasil, as empresas aéreas Vasp e Varig operaram o modelo.

BOEING 307 STRATOLINER – 1937

Domínio Público

Embora poucas unidades tenham sido produzidas, o Boeing 307, que comportava 38 pessoas, marcou a aviação como o primeiro avião comercial com cabine pressurizada, que o permitia voar à mais de seis mil metros de altura, dando mais segurança e velocidade à aeronave.

LOCKHEED CONSTELLATION – 1943

Domínio Público

Graças a sua autonomia impressionante de quase nove mil quilômetros, é lembrado por abrir a possibilidade de novas rotas antes vistas como impossíveis. Comportava quase 100 passageiros, outra marca invejável da aeronave.

DE HAVILLAND COMET – 1952

Domínio Público

Chegando próximo aos 900 quilômetros por hora, duas vezes a velocidade das aeronaves com motores a hélice, foi o primeiro avião comercial equipado com motores a jato.

BOEING 707 – 1958

Domínio Público

Com uma velocidade máxima de 960 quilômetros por hora, foi o primeiro avião comercial a jato a realizar voos transatlânticos, e reduziu muito o tempo de voos intercontinentais.

BOEING 737

Wikocommons/Raimond Spekking

É o jato mais popular do mundo, com mais de nove mil unidades já produzidas. Hoje atua com capacidade de até 180 passageiros, e no Brasil é utilizado pela companhia aérea Gol.

BAC/ AEROSPATIALE CONCORDE

Eduard Marmet

Hoje aposentado, ficou marcado como o avião mais rápido da história da aviação civil, alcançando velocidades acima de dois mil quilômetros por hora, cerca de duas vezes a velocidade do som. Foi utilizado pelas companhias British Airways e Air France antes de sair de circulação, pelo alto custo de combustível em seus trajetos.

*Fonte: Airway

conteúdo original: http://bit.ly/2m90gPQ

 FONTE: PANROTAS / Leonardo Ramos

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s