VIAJAR PARA A ÍNDIA É VIVER UMA ETERNA AVENTURA

Tudo o que você precisa saber para montar um roteiro de visita ao país + sugestões de passeios nas cidades de Deli, Agra e Jaipur

1-india-416777-2

Visitantes chegam ao Taj Mahal (Divulgação) pinterest

Viajar pela índia é atravessar territórios com quatro mil anos história; é explorar regiões que parecem saídas de um musical de Bollywood e contemplar paisagens que remetem aos cenários de um conto fantástico. Por mais confortável que seja, uma viagem à terra dos 330 milhões de deuses é um desafio físico, mental e espiritual. Fazer o roteiro ser menos uma maratona e mais uma apoteose é o segredo. Para isso não apenas o viajante, mas também o agente de viagens devem estudar o país, ler o máximo que puder sobre os costumes e tradições locais, evitando o famoso choque cultural (dos passageiros), ou uma logística equivocada (feita pelos agentes de viagens) que certamente atingirá os não preparados.

Nesta reportagem a TRAVEL3 oferece sugestões para você construir um roteiro básico pelo país. Com a viagem pronta, bastará ao viajante mergulhar de olhos bem abertos, para não perder nenhum instante da aventura.

Uma rua de Nova Deli, capital da Índia (Divulgação)

Três itens são essenciais na hora de fazer uma viagem para a Índia = avião + hotel + agente de viagens.

Como o percurso é muito longo, investir numa passagem em Classe Executiva é a diferença entre aterrissar inteiro ou completamente exausto – e isso não é exagero. As passagens nesta categoria são obviamente muito mais caras e a consultoria de um bom agente de viagens será essencial para dizer se ao passageiro se é possível usar seu programa de milhagem, fazer um pagamento parcelado ou conseguir uma promoção em alguma companhia aérea que cubra a rota Brasil-Índia.

Já a classificação dos hotéis, na Índia, poderia ser resumida da seguinte maneira: um hotel categoria quatro estrelas, no país, equivale ao padrão três estrelas, aqui no Brasil. A conclusão rápida é pensar duas vezes ao se hospedar em um hotel três estrelas indiano. Em compensação, um hotel de luxo indiano equivale a um sete estrelas no Brasil – e isso também não é exagero.

Fachada da mesquita de Jama Masjid (Claudia Tonaco)

Por se tratar de um país de atrações tão variadas quanto exóticas e ser ainda pouco conhecido dos brasileiros, ter a assessoria de um bom agente de viagens, que conheça bem o país é fundamental para viajar pela Índia sem maiores contratempos ou decepções.

Qual a melhor época para visitar o país? O ideal é seguir as orientações dadas pelas estações do ano. A época mais confortável, em termos de temperatura abrange os meses de novembro até meados de fevereiro, quando os termômetros começam a subir.

Em maio, as temperaturas já ultrapassam os 40 graus e o calor atinge o seu máximo lá pelo mês de junho, quanto até os indianos se dão conta de que está mesmo quente. Ainda no final do mês de maio, começam as monções, a estação das chuvas, e a sensação é a de que você está numa sauna ao ar livre.

Estes fatores sofrem uma alteração para mais ou menos, dependendo do seu destino. É importante levar em conta que o clima no extremo norte da Índia é sempre mais fresco e seco do que no extremo sul.

O interior da mesquita e os fiéis, em oração (Claudia Tonaco)

O que colocar na mala? Agasalhos entram na lista se você viajar entre os meses de novembro e fevereiro. Lembre-se: quanto mais para o norte do país você for, mais pesada deverá ser sua proteção contra o frio.

Nas outras estações, pense em roupas leves, que não revelem detalhes do corpo. Nada de decotes, camisetas sem mangas, ou shorts, que são proibidos dentro dos templos.

Em alguns desses templos não é permitida a entrada de objetos de couro. Em outros, é necessário que o visitante cubra a cabeça, assim, coloque lenços, echarpes, xales ou mesmo bandanas na mala.

Filtro solar e repelente de insetos são essenciais, assim como contratar um bom plano de assistência ao viajante.

Qutb Minar, o mais alto minarete do mundo, fica na capital indiana (Claudia Tonaco)

Para viajar para a Índia, o brasileiro precisa obter o visto de entrada, portar passaporte com validade mínima de um ano e anexar à ele o Certificado de Vacina de Febre Amarela Internacional.

Nova Deli, capital do país, é o principal portão de entrada e dará o tom e o ritmo do que o visitante encontrará a seguir. Com uma população estimada em 25 milhões de habitantes, é barulhenta e caótica. Um roteiro inteligente deve intercalar a exploração urbana, que pode ser extremamente cansativa, com a visita aos diversos templos e mosteiros espalhados pela cidade, onde o turista poderá fugir da confusão e praticar um olhar mais contemplativo, decantando, ao mesmo tempo, tudo o que viu anteriormente.

Entre as atrações imperdíveis estão a mesquita de Jama Masjid, a maior da Índia, localizada na cidade antiga, ou Velha Deli e dois Patrimônios da Humanidade da Unesco = o minarete Qutb Minar, o mais alto do mundo + o Forte Vermelho de Deli, na verdade um palácio fortificado.

Distante 40km de Agra está a cidade fantasma de Fatehpur Sikri (Claudia Tonaco)

Na hora das compras, os mercados locais são excelentes para encontrar peças em seda pura, objetos de decoração e artesanato em madeira e prata.

Agra está a 200 km ao sul de Nova Deli e chegar até lá será outro desafio, se você resolver ir de carro ou ônibus (como fez a reportagem TRAVEL3). As estradas são ruins e as leis internacionais de trânsito ainda não foram assimiladas pelos indianos, o que acrescenta muita emoção ao percurso.

O Taj Mahal é o seu cartão postal. Listado entre as novas Sete Maravilhas do Mundo, deverá ser o último a ser visitado, para dar ao turista, um crescendo de emoções.

Próximo à cidade, estão dois passeios imperdíveis. Situado na margem oposta do rio Yamuna, de onde se avista a silhueta do Taj Mahal, está o Forte Vermelho de Agra, assim chamado graças à coloração da pedra usada em sua construção. O forte foi tombado pela Unesco como Patrimônio da Humanidade.

O Forte Vermelho de Agra (Divulgação)

A aproximadamente 40km de Agra, está a cidade fantasma de Fatehpur Sikri, também Patrimônio Histórico da Humanidade. Seu nome significa “Cidade da Vitória” e ela foi capital do império mongol apenas durante 14 anos, depois de ser construída em homenagem a um homem santo sufi, que abençoou o imperador e sua mulher, desejosos por ter um filho, prevendo o nascimento de um herdeiro do trono. A escassez de água levou a população a abandonar a cidade que se mantém bem preservada. A sensação de andar pelo cenário completamente deserto é das mais marcantes.

Finalmente, como não se pode ir à Índia sem visitar o Taj Mahal, chegou o momento de entrar no mausoléu. Solicite uma visita guiada para saber mais detalhes da história de amor entre Mumtaz mas sabendo um pouco da história de amor entre Mumtaz Mahal e Shah Jahan, que acabou se transformou nesta grande maravilha.

O viajante que, num tour pela Índia, decidir visitar Jaipur ganhará várias surpresas de presente. A entrada na capital do Estado do Rajastão é uma delas. Descendo as montanhas, o ônibus pega uma estrada estreita, mal asfaltada e cheia de curvas. Num exótico caminho de boas-vindas estão dispostas, de um lado e de outro da rodovia, ruínas de palácios e estranhas formas de fortificação.

Em Jaipur, nada se compara à chegada ao Forte Amber, transportado em um elefante (Claudia Tonaco)

Jaipur foi construída através de uma consulta aos astros feita pelo seu fundador, um príncipe estudioso das estrelas. Um bom observador irá notar que a maioria das casas, muros e palácios de Jaipur apresentam duas cores predominantes: o amarelo e o rosa. Originalmente amarela, no século 19 o marajá Ram Singh ordenou que a cidade fosse totalmente pintada de rosa, cor que simboliza a hospitalidade, para receber o futuro rei da Inglaterra.

Distante aproximadamente 8km de Jaipur, o belo Forte Amber dá ao turista a oportunidade de ser transportado por um elefante, seguindo uma estrada em zigue-zague até o topo da colina onde está a fortificação. Erguido no final do século 16 para ser moradia do Marajá Man Singh, ele exibe uma coleção de preciosidades, como salões revestidos em mármore, decorados com técnicas de marchetaria, mosaicos e pinturas.

Também em Jaipur está o Palácio dos Ventos, construído para ser usado pelo harém de outro marajá, Pratap Singh. De suas pequeninas janelas, as mulheres podiam observar a rotina da cidade sem serem vistas. Um bom momento para contemplar o Palácio dos Ventos é ao entardecer, quando as nuances em rosa do palácio realçam com o pôr-do-sol. É o momento perfeito para lembrar de uma das máximas da sabedoria hindu que diz ser necessário parar, esquecer a ansiedade e esperar pelo nascer ou pelo pôr do sol, pois nenhuma pressa vale mais do que esse espetáculo.

Sair pelas ruas de Jaipur é uma aventura. Dois milhões e meio de habitantes convivem com o trânsito caótico, agravado pelo número de veículos que, como em um vídeo game, transitam em alta velocidade se esquivando de pedestres, vacas, jumentos, cachorros e até macacos, que embaraçam o caminho uns dos outros.

Macacos no meio da cidade?, você pode perguntar. Sim, macacos para tudo quanto é lado. O que fazer? Entre no clima, caminhe pelas ruas e se embaralhe aos turbantes, bicicletas e vacas, para sentir misteriosos odores e barulhos indecifráveis. Justamente por causa desse exotismo urbano mesclado com uma arquitetura exuberante, Jaipur é uma cidade inesquecível.

O Palácio dos Ventos, é outra maravilha imperdível de Jaipur (Divulgação)

Para o turista, fazer compras ou simplesmente passear, é um teste de coragem e concentração, com o objetivo de vencer os incansáveis comerciantes. Perseguindo e chamando a atenção dos viajantes, não dão trégua até atingir seu objetivo: vender. Renda-se e volte para a casa com muitas recordações.

FONTE: TRAVEL3 / CLAUDIA TONACO

http://www.travel3.com.br/noticia.php?viajar-para-a-india-e-viver-uma-eterna-aventura-13948

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s