Confira 5 dicas de ouro para viajar com bebês

 

É possível viajar com bebês? Claro que sim!

Viajar com filhos é tudo de bom! Basta planejar direitinho e estabelecer expectativas que estejam de acordo com a sua realidade.

Aqui vão algumas dicas de como tornar a viagem com os pequenos mais divertida e leve.

1 – Não mude a rotina de sono e alimentação

Um conselho de ouro para viajar com filhos pequenos: não mexa nos horários de sono e alimentação deles.

Bebês de 0 a 2 anos se sentem seguros e bem humorados quando se alimentam e dormem no mesmo horário em que estão acostumados em casa. Não tente mudar isso durante uma viagem e já terá 90% de chances de sucesso!

Se seu bebê ainda mamar no peito, perfeito! Você já excluiu o trabalho com mamadeiras e tem disponível o melhor alimento do mundo: sempre fresquinho, quando precisar, em qualquer lugar. Para bebês acima dos 6 meses, que já iniciaram a introdução alimentar, alguns lanchinhos fáceis de transportar são milagrosos quando não se encontra o restaurante do almoço ou aquela atração demorou mais que o esperado. Dica: uma banana é saudável, fácil de encontrar e transportar.

Quanto ao sono, um bom carrinho, fácil de transportar, montar e desmontar, e que seja minimamente confortável, será um dos seus melhores companheiros de viagem. Nós escolhemos o Yoyo, da Babyzen, uma maravilha para desmontar, cabe no avião, passa por qualquer lugar, tem amortecedores, super prático e leve para pilotar (basta uma das mãos).

2 – Faça um mini roteiro

Não precisa, e nem deve, ser um roteiro muito rígido, com horários fixos para tudo. O importante é decidir quais lugares e atrações são a sua prioridade e planejar quando pretende conhecer. Procure separar as atrações em grupos, montando cada dia com uma região da cidade. Assim diminui o tempo gasto com deslocamentos e aproveita melhor cada minuto.

Dica importante: escolha com antecedência onde irá comer! Assim evita ficar procurando restaurantes ou supermercados quando já estiver na “hora da fome”. Uma boa estratégia é já pesquisar em casa os restaurantes próximos à atração do dia, dar uma olhada nos cardápios, fotos, etc.

3 – Tire proveito das sonecas

Sabe aquele lugar que você quer muito conhecer, mas que seria um tédio para os pequenos? O museu imperdível e super cansativo, aquele “jantar a dois”, as famosas comprinhas… Coisas que seriam impossíveis ou chatas de fazer em uma viagem com filhos podem ser encaixadas na hora do sono.

Tire proveito dos horários da soneca e monte seu roteiro para aproveitar o melhor do tempo em que seu companheirinho de viagens esteja bem relaxado dormindo no carrinho.

No caso de bebês maiores, que não dormem tanto, a solução é dividir e misturar programas de adulto e crianças. Hoje em dia a maioria dos museus tem programação e exposições interativas, preparadas para agradar a família toda.

4 – Não crie expectativas

Essa dica vale para viajantes com e sem filhos. Se você é daqueles que acha que vai conhecer cada centímetro de NY em um roteiro super hiper mega puxado de 5 dias, prepare-se para mudar ou irá se decepcionar.

Não crie expectativas muito elevadas, isso se aplica principalmente à quantidade de lugares que você pretende visitar. É por isso que colocar o seu plano no papel é tão importante. Você conseguirá visualizar melhor o tempo que irá demorar em cada lugar, acrescentar os horários das refeições, o tempo gasto com deslocamento.

Lembre-se que montar roteiros muito apertados pode estressar os pais – frustrados por não conseguir cumprir tudo à risca – e filhos, que ficam no meio daquela correria toda e sofrem com a mudança muito grande nos horários de dormir e comer. Isso nos leva direto à dica número 5:

5 – Respeite os limites de todos

Saber respeitar os limites também faz parte do manual de viagem com bebês.

Mesmo com tudo planejado, imprevistos podem acontecer, desde um dia chuvoso, uma dor de barriga, ou simplesmente o cansaço.

Bebês amam novidades, é algo instintivo. Afinal, eles se desenvolvem e aprendem quando tem contato com coisas novas. Mas quando o novo inclui muitos estímulos, muitas cores, muita gente, muitos sons, isso pode ter efeito contrário, cansar e estressar. Um choro sem explicação, irritabilidade, os famosos “cinco minutos”, também chamados de “efeito vulcão”, são sinal de que chegou a hora de parar um pouco.

Não adianta insistir. Já fizemos isso e o resultado não foi bom. O melhor a fazer é respeitar e dar um tempo. Voltar para o hotel ou ir para um lugar mais silencioso. Dar muito colo e carinho. E o principal, não forçar.

Esteja aberto a mudanças no roteiro inicial. A atração que faltou nesse dia pode pular para o dia seguinte, mesmo que você tenha que abrir mão de algum outro lugar. A vida é cheia de imprevistos e saber se adaptar a eles também é uma forma de crescimento.

Saiba mais = www.poderosasmaes.com

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s