Universal Orlando inaugura atração de Velozes & Furiosos

 

A cerimônia de lançamento oficial da nova atração do Universal Orlando Resort acontece apenas no próximo dia 2 de maio, mas os visitantes já podem visitar o Fast & Furious – Supercharged. A experiência imersiva baseada na franquia Velozes & Furiosos conta com um tour por cenários recriados idênticos aos dos filmes, carros que participaram das filmagens e até um novo simulador.

A Supercharged promete mostrar 12 carros, incluindo alguns feitos exclusivamente para a atração, além de cenários especiais que recriam a atmosfera dos filmes, do Laboratório de Tej à garagem de Toretto.

Dentro da atração, um simulador coletivo com tecnologia de ponta deverá imergir o público nas cenas da franquia, incluindo explosões e capotagens cinematográficas, já características da ação nos filmes.

Na próxima semana, a PANROTAS cobrirá in loco a festa de lançamento da nova atração no Universal Orlando, e você poderá acompanhar todos os detalhes no Portal PANROTAS e também em nossas redes sociais.

 

Fonte: Raphael Silva, https://www.panrotas.com.br/destinos/parques-tematicos/2018/04/universal-orlando-inaugura-atracao-de-velozes-furiosos_154976.html

Disney’s Animal Kingdom comemora 20 anos

 

Disney’s Animal Kingdom comemora 20 anos – foto David Roark

No mesmo dia em que se comemora o Dia da Terra, 22 de abril, o Disney’s Animal Kingdom comemora seu 20º aniversário. A data foi celebrada no parque com Uma comemoração especial com personagens da Disney, artistas e executivos.

Ao longo dos anos, o parque temático cresceu e inclui novas atrações, programas de conservação de animais e experiências diurnas e noturnas como Pandora – The World of Avatar. Os visitantes que já estiveram no Animal Kingdom da Disney também ajudaram o Disney Conservation Fund a direcionar mais de US$ 70 milhões para preservar a vida selvagem em mais da metade dos países do mundo.

 

Fonte: Lisia Minelli, http://www.mercadoeeventos.com.br/_destaque_/parques-e-atracoes-destaque/disneys-animal-kingdom-comemora-20-anos/

Conheça as paisagens da Nova Zelândia em trilhas de um dia

 

Mount Taranaki, Nova Zelândia – Crédito: Jeremy Beckers

Para os visitantes com pouco tempo para explorar a natureza da Nova Zelândia, as trilhas de um dia podem ser uma boa opção para observar as paisagens cinematográficas do país. São caminhadas que oferecem de tudo: vulcões, floresta, lagos, cachoeiras e praias.

Algumas são bem tranquilas, outras exigem bom condicionamento físico. Ao se preparar, é precisso lembrar que as mudanças climáticas são constantes na Nova Zelândia.

Conheça seis das melhores caminhadas de um dia do país, das mais fáceis às mais difíceis:

No topo do vulcão em Auckland

Nível: fácil

Topo do Vulcão em Rangitoto, Crédito David Killick

Há cerca de 600 anos o vulcão da ilha de Rangitoto entrou em uma violenta erupção no Golfo de Hauraki, perto de Auckland, na Ilha Norte. Hoje, quem visita esta calma ilha chega de barco e a explora caminhando ou em um veículo com tração nas quatro rodas que vai até o topo da montanha, a 260 metros de altura. Na primavera e no verão a ilha fica coberta pelas flores vermelhas de uma árvore chamada Pohutukawa, usada para produzir mel e cuja cor contrasta com as superfícies de lava cinzenta.

Dicas de viagem: Balsas para Rangitoto partem regularmente do terminal de Auckland e também do porto de Devonport. A viagem dura cerca de 25 minutos e você deve se programar para passar metade do dia na ilha. A região de North Shore, em Auckland, também é fascinante, com praias reservadas, fortificações históricas, arquitetura colonial e restaurantes.

Florestas e lagos em Te Anau

Nível: fácil

Trilhas em Florestas e Lagos de Te-Anau, Crédito David Killick

A região de Fiordland é famosa por trilhas que levam vários dias, como a Milford Track. Mas você também pode apreciar esse parque nacional em uma caminhada fácil, de apenas um dia, a partir de Te Anau. A trilha começa no Centro de Visitantes e segue para o lado sul do lago, passando pelo Centro de Vida Selvagem de Te Anau (onde você pode ver o curioso pássaro takahē, que corre risco de extinção) e pelos portões de controle da estação de energia de Manapouri. A partir dali, siga pela trilha de Kepler, andando por uma floresta primaveril até a área de piquenique de Dock Bay. Depois, retorne pelo mesmo caminho.

Dicas de viagem: Te Anau tem muitas opções de acomodação à beira do lago. Além de viajar para Milford Sound e Doubtful Sound, você também pode visitar cavernas com os chamados glowworms, insetos que brilham no escuro. Não perca a exibição de Ata Whenua – Shadowland, um filme sobre a região, no Fiordland Cinema. A experiência é mágica.

Ruinas de uma ferrovia na Costa Oeste

Nível: fácil

02- Trilhas em Florestas e Lagos de Te-Anau, Crédito David Killick

Floresta nativa, um rio selvagem, uma cachoeira barulhenta e um desfiladeiro dramático combinados com conhecimento histórico na Charming Creek Walkway, localizada na Ilha Sul. No início dos anos 1900, mineiros e madeireiros construíram uma ferrovia em terreno periculoso. Ela foi fechada em 1958, mas os restos de velhos motores e vagões ainda podem ser vistos parcialmente enterrados na vegetação. Em dias de céu aberto, o rio cai entre os pedregulhos em um cânion rochoso; em dias de chuva, a forte torrente revela a cachoeira de Mangatini. Independentemente do clima, a paisagem é sempre  impressionante.

Dicas de viagem: A partir de Ngakawau, 35 quilômetros ao norte de Westport, você pode percorrer a trilha ida e volta em um dia (são 19 quilômetros). Também é possível começar por Seddonville, na ponta norte. Fazer o percurso de bicicleta é outra opção, assim como se hospedar no Rough and Tumble Bush Lodge, perto de Seddonville. Aproveite para visitar a Old Ghost Road, favorita dos ciclistas.

De leste a oeste em minutos

Nível: fácil a moderado

De leste a oeste em minutos, Puponga, Crédito David Killick

Imagine passar, em questão de minutos, da costa leste para a costa oeste da Nova Zelândia. Você pode fazer isso no Farewell Spit, uma estreita faixa de terra que forma a ponta norte da Ilha Sul. O lado oeste é mais selvagem, marcado por ilhas, cavernas marítimas e longos pedaços de praia vazia, enquanto o leste oferece vistas panorâmicas da região de Golden Bay. Tanto o Farewell Spit quanto o parque de Puponga Farm oferecem grande variedade de caminhadas, incluindo a Puponga Hilltop Track, trilha que leva de três a cinco horas (sentido único). Também há a opção de fazer apenas parte do percurso.

Dicas de viagem: As principais áreas de estacionamento estão em Triangle Flat ou no fim da Wharariki Road, uma estrada que não é asfaltada. O acesso à maior parte do Farewell Spit é controlado, então faça um tour ecológico para apreciar a beleza e a diversidade deste frágil ambiente costeiro.

Vendo tudo de cima em Wellington

Nível: moderado

Vendo Tudo de Cima em Wellington, Crédito Te Raroa Trail

A chamada Kapiti Coast captura vistas contrastantes da Ilha Kapiti – que foi berço do guerreiro Māori Te Rauparaha – e das colinas cheias de vegetação que cercam Wellington, a capital da Nova Zelândia. A Paekakariki Escarpment Track é uma trilha que integra outra maior, a Te Araroa Trail, e que chega até 220 metros acima do nível do mar. A partir da praia de Paekakariki, pegue uma passagem subterrânea por debaixo da principal estrada neozelandesa, a State Highway 1. Depois, siga pela floresta costeira e pelas pedras. Um caminho estreito em forma de ziguezague leva até o mirante no topo da montanha. A partir dali é só descida em meio à floresta nativa e passando por duas pontes. Depois, siga o corredor ferroviário e termine a caminhada na estação de Pukerua Bay.

Dicas de viagem: A trilha tem sentido único, cobre 10 km e pode levar entre três e quatro horas. Parte dela passa por propriedade privada, portanto cachorros, bicicletas e veículos motorizados não são permitidos. Ao fim da trilha, você precisará organizar um transporte para levá-lo de volta ao ponto de partida. A região de Kapiti Coast tem muitas praias, lojas de artesanato e restaurantes.

 

Volta em torno da montanha em Taranaki

Nível: moderado a difícil

Mount Taranaki, Nova Zelândia – Crédito: Jeremy Beckers

Localizado na costa oeste da Ilha Norte, o Monte Taranaki é frequentemente comparado ao Monte Fuji, no Japão, por causa de sua simetria. É, também, um lugar que tem significado espiritual para o povo Māori. A Pouakai Crossing é uma trilha que passa por formações dramáticas, incluindo as colunas de lava deDieffenbach Cliffs e as árvores da floresta de Goblin. Uma vez no Parque Nacional de Egmont, também é possível fazer outra caminhada para ver a cachoeira conhecida como Bells Falls e um lago alpino transparente como um espelho, numa paisagem digna de cartão postal. Lá em cima, o pico do Monte Taranaki é um belo lugar para tirar fotografias.

Dicas de viagem: A Pouakai Crossing é uma trilha de sentido único que percorre 19 km, então será preciso organizar transporte para depois da caminhada. Você pode optar por tours guiados ou por andar de forma independente, seguindo os sinais. A trilha exige um bom preparo físico e pode levar até nove horas e meia. O ponto de partida é o Centro de Visitantes do Parque Nacional de Egmont, ao sul de New Plymouth.

 

Fonte: http://www.jornalturismoeeventos.com.br/2018/04/19/conheca-as-paisagens-da-nova-zelandia-em-trilhas-de-um-dia-2/

Valle Nevado Ski Resort completa 30 anos e anuncia festividades

 

Valle Nevado Ski Resort, estação de esqui e snowboard queridinha dos brasileiros, a mais próxima de Santiago e a maior do Hemisfério Sul, este ano completa 30 anos desde sua inauguração, com produtos e serviços robustos que incluem três hotéis, nove edifícios residenciais, rua de pedestres com lojas de marcas internacionais, a mais certificada Escola de Neve do país, 11 bares e restaurantes, mais de 40 pistas de todos os níveis, 15 meios de elevação, clínica médica, lojas de locação de equipamentos e roupas, heliski, spa e academia.

O resort, por sua posição geográfica nos planos originais dos anos 80, anunciava o melhor de suas qualidades: mais e melhor neve. Era um lugar onde se podia criar uma experiência autêntica. Se passaram 30 anos desde o dia 24 de junho de 1988, quando se tornou real “um projeto pessoal e genuíno”, como dizia Eduardo Stern, um dos fundadores do complexo. São três décadas desde que esse lugar especial no meio da Cordilheira dos Andes, acima dos três mil metros de altitude, abriu suas pistas pela primeira vez.

Rapidamente cresceu como projeto e se converteu no destino de neve mais importante do Hemisfério Sul. No mesmo ano de sua inauguração, foi finalizado o primeiro hotel: Valle Nevado, o cinco estrelas da estação. Hoje o acompanham mais dois, o Puerta del Sol e o Tres Puntas, junto a um projeto imobiliário único em sua categoria que já conta com nove edifícios de apartamentos que reúnem mais de 400 famílias.

O centro de esqui e snowboard recebeu nestes 30 anos mais de três milhões de visitantes, somente durante os meses de inverno, além de reconhecimentos importantes pelo mercado e pela imprensa. “A empresa turística mais inovadora do Chile”, “Entre os melhores da América do Sul” (Forbes), “Oito melhores destinos para se visitar” (The New York Post) e “O Melhor Destino para Esquiar da Região” (CNN) são alguns dos mais recentes.

Neste mundo de conteúdos descartáveis, o Valle Nevado tem sempre buscado formas de se conectar com sua comunidade. Em 2018, apresentou um site renovado (www.vallenevado.com/pt), além da criação permanente de conteúdos nas redes sociais, onde ainda ostenta o posto de centro de inverno com mais seguidores no mundo no Facebook (mais de 381 mil) e o primeiro a ter um app próprio no Chile.

Em 2011, Valle Nevado inaugurou o primeiro teleférico quádruplo de alta velocidade no país. No ano seguinte, uma zona de serviços dedicada exclusivamente a quem sobe de Santiago para passar o dia na montanha, batizada de Curva 17 por estar em uma das mais de 60 curvas da estrada que separa a estação da capital do país. Em 2013, foi inaugurada a única gôndola (teleférico de cabine fechada) de um centro de inverno no Chile. Em 2016, foi a vez do Valle Plus, um passe eletrônico que facilitou a experiência dos usuários e veio como uma resposta direta às suas necessidades.

Comemorações especiais em julho, o ápice da temporada

O objetivo do Valle Nevado Ski Resort esse ano é convidar todos a celebrar e fazer dessa temporada 2018 a melhor de todas. Por isso, além das semanas temáticas Valle Week (7 a 14 de julho), Fun Week (14 a 21 de julho), Foodie’s Week (3 a 10 de agosto) e Wine Week (17 a 24 de agosto), o Valle Nevado terá uma programação especial, que será divulgada em breve, durante todo o mês de julho, para comemorar seus 30 anos. O que já se pode adiantar é que será uma temporada e tanto!

Fonte: B4Tcomm