Publicidade: Online x Offline – onde investir?

Artigo do portal Agente no Turismo

Pela primeira vez no Brasil, os investimentos em publicidade na internet superaram o montante veiculado em revistas, segundo o relatório Projeto Inter-Meios, de janeiro e fevereiro de 2013.

Enquanto o faturamento acumulado no bimestre em revistas foi de R$ 188,42 milhões, a publicidade online recebeu R$ 189,7 milhões. Nesse montante não estão contabilizados investimentos nas redes sociais e buscadores (Google Adwords, por exemplo).

Já sabíamos que esse dia chegaria logo, quando os investimentos em mídias online ultrapassassem a publicidade tradicional. Isto em função do próprio comportamento do consumidor, que confia, cada vez mais, na opinião de seus amigos ou de outros consumidores, em detrimento da pura e simples publicidade. E as agências de publicidade estão explorando essa particularidade muito bem.

Obviamente, os investimentos em publicidade tradicional (mídia impressa, TV, rádio, outdoor, busdoor, dentre outros) não vão acabar complemente. Mas, diversos estudos feitos nos Estados Unidos e Europa apontam a migração dos orçamentos corporativos para as mídias online.

No marketing digital, as principais ferramentas de publicidade utilizadas pelos especialistas são anúncios em sites, portais e mídias sociais, que podem ser combinadas com campanhas promocionais, SEO, links patrocinados, dentre muitos outros.

A grande vantagem do marketing digital é seu poder de atração, ou seja, a partir do nosso uso da internet, como consumidores, vamos escolhendo as informações que queremos receber, as empresas cujas mensagens nos interessam, que queremos conhecer (observe os anúncios que aparecem no seu perfil do Facebook e compare com os do seu colega de trabalho). Enquanto que nas mídias tradicionais, mudamos de canal ou estação de rádio, toda vez que entra um comercial de um produto que não nos interessa.

As soluções criadas para o marketing online estão cada vez mais sofisticadas para que a mensagem chegue ao potencial consumidor. E para chamar a atenção do consumidor será necessário combinar promoção com entretenimento, a partir de conteúdo rico e interessante, na forma de texto, imagem ou vídeo. Pense nisso!

Consultoria: um novo papel para o agente de viagens

Fonte: Portal Educação

Atualmente, as agências não podem limitar seus serviços à mera revenda e à representação de produtos turísticos. Essas empresas devem avançar na qualidade de seus serviços e adotar, cada vez mais, a postura de consultoria de viagem, por parte de seus agentes, conceito que ganha força e está cada vez mais presente nas agências de todo o país.

A consultoria de viagem consiste na prestação de um serviço personalizado, no qual o agente de viagens atua como um conselheiro da viagem do turista, oferecendo informações e serviços únicos que encantam a vida do viajante, que se torna, em médio prazo, fiel e dependente do conhecimento daquele agente.

A atividade de consultoria de viagens exige, em primeiro lugar, que as agências de viagens priorizem suas principais atividades, elegendo quais produtos, consumidores, atividades e fornecedores serão valorizados e focalizados, desenvolvendo estratégias muito mais eficientes e, ao mesmo tempo, otimizando seu relacionamento com fornecedores.

Deve-se estimular, portanto, que os agentes de viagens trabalhem somente com produtos confiáveis ou que conhecem pessoalmente para indicar e vender o que há de melhor no mercado. Caso contrário, sujeitam-se a riscos que podem levá-los à ruína comercial e moral, atingindo indiretamente a reputação dos profissionais do setor, além de gerar ações judiciais, resultando em prejuízos financeiros e de imagem perante ao mercado.

Atualmente, as agências de turismo representam ou organizam uma infinidade de serviços turísticos, tal realidade obriga os profissionais dessa área a possuir enorme conhecimento operacional e tecnológico da atividade turística, pois cada atividade representada requer linguagem, características, legislação, procedimentos operacionais, prazos e descontos promocionais específicos. Além disso, com os novos desafios das agências de viagens, esses profissionais precisam possuir uma qualificação cada vez maior, para continuarem a encantar e fidelizar os seus clientes, exercendo predomínio sobre seus concorrentes.

Os principais atributos dos agentes de viagens moderno e competitivo são: boa apresentação pessoal; vestuário adequado ao ambiente de trabalho; postura profissional, tranquila e compenetrada; comunicativo(a) e atento(a) a linguagem e dicção ao falar pessoalmente ou por telefone; preocupação constante com a organização; iniciativa, criatividade e flexibilidade para a solução de problemas diversos; alto poder de concentração; conhecimento total do produto comercializado; curiosidade e vontade de aprender sempre; conhecimentos profundos de Geografia; conhecimentos gerais e atuais (história, política, economia); conhecimentos técnicos na utilização / manuseio das ferramentas das agências de viagens (GDS, Panrotas) e procedimentos operacionais (emissão de bilhetes , linguagem de mercado, cálculo de tarifa ); visão empreendedora; disposto(a) a aceitar constantemente novos desafios; gosto por trabalho sem horário e rotina rígidos; conhecimento de marketing e nível universitário.