São Paulo investe em qualificação profissional no Turismo

O Pronatec Turismo abriu novas vagas em São Paulo para agente de informações turísticas, camareira em meios de hospedagem e organizador de eventos. Os cursos são gratuitos e têm carga horária de até 200 horas. As inscrições foram abertas na segunda (27) e podem ser feitas até esta sexta-feira, 31. No total são 580 vagas. O estado de São Paulo tem 11.328 inscritos e já formou 5.759 profissionais em cursos relacionados ao turismo.
Os interessados precisam ter 18 anos completos, preencher aos requisitos de escolaridade para cada curso e enviar um e-mail para projetosturisticos@spturis.com com nome completo, CPF, CEP residencial, curso de interesse e dados pessoais, entre eles endereço completo, grau de escolaridade, situação trabalhista, condições físicas, se recebe auxílio financeiro do governo, além de número e data de expedição da carteira de reservista, para os homens. O curso ocorre em parceria com o Senac.
O programa de qualificação profissional do Ministério do Turismo, em parceria com o Ministério da Educação, superou a meta de 157 mil inscritos até a Copa. Hoje, são 186.892 matriculados em 54 cursos distribuídos por 120 cidades do país, sendo que parte deles ainda não concluiu o curso. No total, 99.867 alunos concluíram o curso até o momento. O setor turístico está investindo na formação técnica dos profissionais ligados ao segmento.
Os resultados dessa iniciativa já podem ser notados na qualidade dos serviços de hotéis, restaurantes e demais segmentos do turismo em todo o país – mas especialmente na formalização do trabalho, no salário e na vida de milhares de pessoas que concluíram os cursos do Pronatec. Conheça as histórias de vida de quatro profissionais que relataram as mudanças de vida com a qualificação profissional.
Jéssica, ela sabe como receber bem
Um dos cursos mais requisitados é o de recepcionista em meios de hospedagem, devido ao aumento da demanda por hotéis para o Mundial. Esta foi a escolha da ex-atendente de telemarketing Jéssica Farias Alves, de 31 anos, que agora recepciona turistas em uma pousada de Salvador. Ela aprendeu a explicar os procedimentos por telefone e e-mail e acolher os visitantes presencialmente. No novo trabalho teve a carteira assinada e duplicou seus ganhos. “Eu me sinto preparada para atender os turistas e não me intimido com os estrangeiros”, diz Jéssica, que também aprendeu inglês durante o curso. Segundo ela, o novo trabalho valoriza seu potencial.
Itharlan, um bailarino no papel de guia de turismo
Até mesmo aqueles que já tem curso superior estão procurando o Pronatec. O bacharel em turismo e bailarino Itharlan Américo, de 27 anos, resolveu se dedicar a um curso de agente de informações turísticas em Recife. O curso reuniu profissionais de diversas áreas e ensinou, segundo ele, a importância da integração da cadeia produtiva. “Hoje tenho uma visão geral do turismo, aprendi a receber os turistas e trabalhar em parceria. Os benefícios desse esforço são coletivos”, afirma. Segundo ele, a Copa foi uma excelente oportunidade para mostrar ao mundo a capacidade do país em receber bem seus visitantes.
Adelina, ela deixa o quarto impecável
A camareira Adelina Alves da Silva, de 42 anos, mãe de dois filhos, descobriu nos cursos do Pronatec uma nova profissão. Ela trabalhou anos como empregada doméstica – e estava desempregada. Assim que concluiu o curso de camareira, Adelina foi contratada por um hotel em Brasília e teve a carteira assinada. “Hoje minha renda é superior à que ganhava quando trabalhava de empregada doméstica”, diz.
Carla Lopes, a guarda civil bilíngu e Aqueles que já estão trabalhando também precisam de qualificação. A guarda civil metropolitana Carla Lopes trabalha em uma das bases de maior circulação de turistas de São Paulo: a Avenida Paulista. Com o objetivo de dar assistência também aos visitantes estrangeiros que circulam diariamente pelo local, a policial estudou espanhol por meio do Pronatec Turismo. Hoje Carla se diz mais preparada para orientar visitantes, em português e espanhol. “Acredito também que será muito importante para os futuros eventos”, disse.
Em São Paulo, o programa, que é do Ministério do Turismo, tem o apoio da São Paulo Turismo (SPTuris).
Com informações da SPTuris.

 

Hyatt Herald Square é inaugurado em Nova York

O hotel Hyatt Herald Square, inaugurado em outubro pela Hyatt Hotels Corporation (NYSE: H) e pelo Chesepeake Lodging Trust (NYSE: CHSP), oferece 122 suítes e evoca a rica história editorial da área e arredores do Fashion District – ambos serviram como inspiração para o design do hotel, assim como para os restaurantes, serviços e amenidades.

“O Hyatt Herald Square está idealmente localizado no centro do vibrante bairro Herald Square”, disse Candice Cancino, gerente geral do Hyatt Herald Square. “O hotel captura o espírito do bairro e inspira os hóspedes a explorar o que essa região tem de melhor a oferecer. Estamos muito felizes de receber nossos primeiros e futuros hóspedes”.

“Depois de mais de um ano de planejamento e execução de nossos planos, estamos ansiosos para apresentar o novo Hyatt Herald Square”, disse James L. Francis, presidente e CEO da Trust. “Cada aspecto deste hotel foi projetado cuidadosamente com os bairros mais próximos, Herald Square e Fashion District, em mente, tirando deles a inspiração e celebrando a rica história desses importantes setores. Estamos ansiosos para oferecer tanto aos nossos hóspedes quanto aos moradores de Nova York, um hotel único e contemporâneo e uma experiência de gastronomia em um dos bairros mais revitalizados de Nova York”.

Design e suítes
Localizado na West 31st Street, entre a 5a Avenida e a Broadway, o prédio do Hyatt Herald Square New York foi projetado pelos famosos designers de interiores Paul Vega e Vennie Lau, da VLDG Inc., que estudaram a história do Herald Square para encontrar os elementos de design e palhetas pra o lobby do hotel, assim como para os corredores, suítes e terraço.

Cada aspecto do design do hotel exala uma mistura de elementos fashion com a impressão industrial de jornais, composta por cores vibrantes, vidro, tecidos customizados e trabalhos em madeira, madeira de demolição, blocos de composições tipográficas, metais triturados e outros detalhes. O lobby, adornado com trabalhos de nove artistas locais, serve como um destino por si só. O convidativo lobby exibe diferentes áreas comuns temáticas, incluindo um espresso bar com balcão para café, lanches rápidos e um lounge inspirado em biblioteca; um bar e um espaço privado para refeições, com assentos confortáveis e uma estante com livros.

Na chegada, embaixadores do hotel virão pessoalmente receber cada um dos hóspedes e convidá-los pra uma experiência no lobby ou acompanha-los à suíte. Para criar uma experiência quase imperceptível entre check-in e acomodação, a tradicional experiência de check-in no balcão foi trocada por uma mesa, redonda e confortável, no fundo do lobby, em frente a uma grande porta de metal estampada com letras. Isto fica a poucos passos do confortável bar e lounge do hotel. Adjacente à área de check-in, a pequena mesa do concierge, decorada com recortes de jornais de diferentes cores e texturas, recebe pedidos e perguntas dos hóspedes.

A iluminação sustentável de LED, desenhada pela fabricante com sede no Brooklin, Stickbulb, será exibida em uma instalação personalizada de traves de madeira de diferentes tamanhos, adicionando ainda mais à sensação industrial do lobby. Blocos de vidro cobertos com luzes LED nas paredes oferecem um efeito brilhante no papel de parede de tecido dourado Maharam.

As suítes foram desenhadas usando palhetas neutras e naturais, permitindo que a decoração e o design inspirado em moda se destaquem. Os móveis de uma rica madeira escura encontrados nos quartos são acentuados com toque de pink escuro, uma cor recorrente por todo o hotel. Como uma saudação às indústrias fashion e de publicações, blocos de composições tipográficas nos quartos trazem citações de famosos designers de moda. Os blocos tipográficos também são usados para indicar o número do quarto em todas as 122 suítes, incluindo a cobertura, localizada no 18º andar. Cada andar também possui um diferente e customizado painel em frente ao elevador, para indicação do andar. Esses painéis, criados por Vicky Chan, também trazem o mesmo toque de pink escuro encontrado nos quartos e imagens inspirada na moda. Os hóspedes podem escolher quartos king ou duplos, com atributos que incluem armários abertos inspirados no varejo, em que os hóspedes podem exibir peças pessoais de vestuário, mesas que dobram vaidosamente, sofás padronizados com almofadas multi-textura e painéis de obras de arte no teto e paredes. No lugar de uma luminária, a luz de cabeceira vem de uma lanterna presa a uma corrente, o que acrescenta elegância e suavidade ao quarto, e evoca o estilo de um colar. O espaçoso banheiro inclui um chuveiro e amenities C.O. Bigelow. As suítes proporcionam uma vista espetacular do panorama urbano de Manhattan, incluindo o Empire State Building e o Chrysler Building.

Gastronomia
O Hyatt Herald Square New York oferece três opções para desfrutar de alimentos e bebidas, cada uma com sua identidade distinta, lideradas pelo Diretor de Alimentos e Bebidas e Chef Executivo, Gunnar Steden. O café Espresso Bar oferece grãos gourmet da Stone Street Coffee Company torrados no local e uma grande variedade de cafés, espressos e outros drinks preparados por baristas, assim como artigos fresquinhos de confeitaria da Balthazar Bakery. Embora seja uma ótima opção para levar para viagem, aqueles que preferem apreciar o café com tranquilidade, apreciarão uma área separada com balanços posicionados em frente à instalação de arte que exibe relógios inspirados em Dali. Alinhados ao tema fashion do hotel, cada relógio exibe um diferente fuso-horário entre as principais capitais mundiais da moda, como Paris, Nova York e Hong Kong. Os hóspedes também podem ler jornais antigos exibidos em pilhas por todo o bar.

O íntimo bar e restaurante no lobby, em estilo biblioteca, apropriadamente batizado como The Den, oferece um menu casual de bistrô. Com ênfase em ingredientes simples e frescos, o cardápio oferece pratos sazonais em três tamanhos – Large Bites, Light Bites e Even Lighter Bites – fazendo do The Den a opção ideal para refeições, reuniões de grupos ou um lanche rápido. Oferecendo um ambiente de sala de estar, o The Den inclui cadeiras e mesas de diferentes alturas, uma estante de livros com uma enorme variedade de mídias e literatura focada em moda, além de uma confortável área com uma escrivaninha. A área do bar lembra um carrinho de bebidas que se tem em casa, enquanto a área reservada, com 18 lugares, foi projetada com inspiração nos luxuosos banquetes da metade do século e cadeiras acolchoadas.

O lounge do hotel no terraço, Up on 20, exibe vistas maravilhosas do panorama de Midtown, assim como do Empire State Building e da Freedom Tower, e oferece uma variedade de coquetéis sazonais, uma seleção de cervejas, vinhos e outras bebidas nacionais e importadas, assim como o cardápio de petiscos do hotel. O terraço também está disponível para pequenas reuniões e eventos para até 100 pessoas.

“Estamos muito felizes de fazer parte da inauguração do Hyatt Herald Square New York”, disse Ben Seidel, presidente e CEO da Real Hospitality, a empresa que gerencia o hotel. “Este hotel, baseado em moda e história, com certeza será o destino perfeito pra visitantes a negócios ou lazer, e mesmo para os moradores de Nova York, oferecendo o verdadeiro sabor da vizinhança em um cenário contemporâneo e social. Estamos confiantes de que o design, a comida, a bebida, as acomodações e as comodidades farão com que este hotel se destaque como líder no setor”.

Turistas brasileiros confiam mais no digital que europeus

O Brasil tem se mostrado mais digital do que os países da Europa, pelo menos no quesito viagem. Segundo pesquisa realizada pelo KAYAK (www.kayak.com.br), empresa de tecnologia voltada a criar ferramentas para simplificar o processo de pesquisas de viagens online, 54,9% dos participantes brasileiros já usaram o cartão de embarque na versão digital (através de aplicativos das companhias aéreas ou apresentado um e-mail no smartphone), enquanto a porcentagem de europeus é de 47,6%.

O mesmo ocorre quando perguntados sobre qual o formato que preferem utilizar: 52,6% dos usuários brasileiros destacam o digital, em comparação aos apenas 36,6% dos europeus que preferem a tecnologia.

Segundo a pesquisa, os brasileiros que ainda não utilizaram o cartão digital não o fizeram pela insegurança: 31,7% se sentem mais seguros ao usar um cartão de embarque impresso, e 46,7% informam que usam o formato digital, mas que também levam o impresso, caso a bateria do celular acabe. Uma minoria (13,3%) não o utiliza por não possuir um smartphone, ou porque quer evitar cobranças pelo uso de roaming/dados (8,3%).

“Acreditamos que o digital seja uma tendência no Brasil, justamente pelo número de brasileiros conectados, que hoje já ultrapassa 31% da população do país. Como hoje as pessoas já compram mais pela internet, é normal que o próximo passo seja manter os comprovantes também no formato digital”, comenta Nicolas Scafuro, diretor do KAYAK para América Latina.

Os dados sobre o uso dos meios digitais para fazer check-in em hotéis são semelhantes: 46,6% dos brasileiros já o utilizam, contra 42,9% dos europeus, e a preferencia dos brasileiros pela tecnologia também é maior que a dos europeus: 60,6% e 46,3%, respectivamente.

A pesquisa do KAYAK na Europa foi realizada no Reino Unido, Suíça, Dinamarca, França, Itália, Espanha e Rússia, recebendo 2.320 respostas. No Brasil, participaram 500 pessoas.

Confira abaixo o resultado completo da pesquisa:

 Pesquisa KAYAK: digital ou papel?
  1. Você já utilizou cartão de embarque na versão digital (aplicativos das companhias aéreas ou um e-mail apresentado diretamente em seu smartphone)?
  Brasil Europa
Sim 54,9% 47,6%
Não 45,1% 52,1%
  1. Qual deles você prefere?
Cartão de embarque digital 52,6% 36,6%
Cartão de embarque impresso 47,4% 63,1%
  1. Se as companhias aéreas deixassem de usar cartões de embarque impressos (ou começassem a cobrar por eles), você estaria disposto a usar apenas na versão digital?
Sim 78,9% 72,3%
Não 21,1% 27,4%
  1. Se você respondeu “não” à pergunta anterior, qual o motivo?
Quero evitar cobranças pelo uso de roaming/dados 8,3% 9%
Sinto mais segurança ao usar um cartão de embarque impresso 31,7% 19,8%
Não tenho smartphone para mostrar o cartão de embarque digital 13,3% 11,4%
Uso o digital, mas sempre carrego o impresso junto,caso acabe a bateria do celular* 46,7% ___
  1. Você já fez check-in em um hotel utilizando meios digitais, por exemplo, um aplicativo ou um e-mail apresentado diretamente em seu smartphone?
Sim 42,9% 46,6%
Não 57,1% 53,1%
  1. Qual você prefere?
Reserva de hotel digital 60,6% 46,3%
Reserva de hotel impresso 39,4% 53,4%
  1. Você estaria disposto no futuro a fazer check-in nos hotéis exclusivamente por meios digitais?
Sim 82,9% 69,6%
Não 17,1% 30,1%
  1. Se você respondeu “não” à pergunta anterior, qual o motivo?
Quero evitar cobranças pelo uso de roaming/dados 8,9% 8,4%
Sinto mais segurança ao usar uma reserva de hotel impressa 40% 21,3%
Não tenho smartphone para mostrar na versão digital a reserva efetuada 20% 10,5%
Uso o digital, mas sempre carrego o impresso junto,caso acabe a bateria do celular* 31,1% ___
  1. Que tipo de smartphone você usa atualmente?
iOS (iPhone) 41,7% 32%
Android 46,3% 37%
Windows Phone 0,6% 4%
BlackBerry OS 0,6% 2%
Outro 0,6% 6%
Não uso smartphone 10,3% 18

 

​”Devemos procurar nichos diferentes”, diz Celso Guelfi

Celso Guelfi
1
O presidente da Global Travel Assistance (GTA), Celso Guelfi, alertou seus colaboradores durante o 6º Encontro Anual de Vendas e Marketing da GTA (EAVEM) no Portobello Resort & Safari, em Mangaratiba (RJ), sobre as novas oportunidades de mercado. De acordo com ele, deve-se procurar um público que ainda não é explorado.
1
“Devemos procurar nichos diferentes para ampliar nossas vendas. As vezes eles estão nosso lado e não percebemos. Temos estar antenados as informações que os meios de comunicação e órgãos oficiais nos passam, além de percepção. Atualmente, cresce cada vez mais o número de brasileiros que viajam para o exterior. Logo, temos que estar antenados 24 horas por dia já que temos oportunidades em todos os lugares”, disse Celso Guelfi.
1
Gelson Popazoglo, diretor Comercial da GTA, completou. “O Mercado sinaliza sempre novos mercados. Cabe a nós colocarmos esses novos produtos em nossos planejamentos.”
1
FONTE : MERCADO E EVENTOS / Rafael Massadar
1