Havaí terá capacitações on-line durante julho; inscreva-se

Destinos ,
A Autoridade de Turismo do Havaí na América Latina vai realizar durante julho seminário on-line gratuito sobre o destino.

O objetivo dos webinars é que os agentes de viagens conheçam as principais características sobre as ilhas havaianas e obtenham as ferramentas para melhor vender a região.

As vagas são limitadas e as datas disponíveis são 8, 15 e 22 de julho, todos programados para as 16h. A duração do webinar é de 50 minutos. Para se inscrever, basta enviar e-mail para leo.melro@focuslatam.com.

FONTE: PANROTAS / Renê Castro

Romance no ar em pleno Alentejo

Maior região de Portugal é destino certo para casais, seja para férias, lua de mel ou mesmo para celebrar o casamento

O Alentejo, maior região portuguesa, é repleta de detalhes que inspiram o amor. Do litoral com belíssimas praias desertas aos imensos campos recortados por rios e lagos, passando pelas magníficas serras e vilas charmosas, são intermináveis os cenários magníficos para namorar e ser feliz.

A oferta hoteleira esbanja romance: são palácios, castelos medievais, antigos conventos, hotéis de charme e de luxo. São inúmeros refúgios com vista para o campo, para as vilas, cidades históricas ou para o mar.

Passeios a dois também não faltam: voos de balão, caminhadas, passeios a cavalo ou de charrete, trilhas de bicicleta, passeios de barco, tratamentos em spas, observação de estrelas, visitas a museus e castelos e saídas para dançar são só uma parte do que o Alentejo oferece para quem não consegue ficar um segundo longe de seu amor.

Isso para não falar na rota do vinho, em que é possível conhecer as adegas e vinhas de alguns dos melhores produtores europeus. As vivências gastronômicas são muitas e inconfundíveis, desde refeições típicas até reinterpretações contemporâneas de pratos clássicos.

A vida é feita de momentos marcantes e experiências inesquecíveis, coisas que uma viagem ao Alentejo tem de sobra. Isso faz desse destino um ponto de encontro com a felicidade, seja numa escapadela de feriado ou em um dos momentos mais importantes da vida do casal: o casamento.

A região tem inúmeras localidades para festas que são perfeitas para o casamento dos sonhos. Hotéis e salões modernos, castelos tradicionais e pousadas em que é possível realizar a cerimônia ao ar livre, com um pôr do sol que tornará o dia ainda mais inesquecível. Brasileiros podem realizar seu casamento em Portugal com tranquilidade, mas sujeitos à lei portuguesa – ou seja, a documentação necessária é diferente da do Brasil.

E depois de uma cerimônia tão especial, todas as possibilidades do Alentejo se apresentam para outro acontecimento muito esperado: a lua de mel. Seja para passá-la estendidos na areia dourada do litoral, entre mergulhos no mar e longas caminhadas na praia ou rodeados de cultura e história em antigas construções, o par certamente não vai se arrepender de desfrutar de seus melhores momentos juntos nessa região tão especial.

Sobre o Alentejo

Considerado o destino mais genuíno de Portugal, o Alentejo é a maior região do país. Privilegiando um lifestyle tranquilo em que a experiência de viver bem dá o tom, conta com belas praias intocadas e cidades repletas de atrações ímpares, como castelos e monumentos históricos. Detentor de três títulos da UNESCO e diversos outros prêmios e reconhecimentos internacionais no setor do turismo, o Alentejo oferece opções para todos os tipos de viajantes, sejam famílias, casais em lua de mel ou aventureiros. Para mais informações, visite www.turismodoalentejo.com.br.

FONTE: AFT Comunicação Integrada / Natasha Sá Osório

natasha@aftcomunicacao.com.br
www.aftcomunicacao.com.br

JULHO TEM CINEMA EM PORTO DE GALINHAS

Curta Porto é o nome do festival que acontece pela primeira vez na cidade

De 9 a 11 de julho, acontecerá em Porto de Galinhas, o 1o Curta Porto, festival de cinema que exibirá 30 curta-metragens feitos pela produção nacional.

O Curta Porto tem o apoio do Porto de Galinhas Convention & Visitors Bureau e incentivo do Funcultura, do Governo do Estado e da Prefeitura Municipal de Ipojuca.

Serão 3 categorias = mostra nacional + infanto-juvenil + pernambucana, cada uma com 10 concorrentes.

Segundo Alice Gouveia, curadora, o evento, “revela o panorama da recente produção cinematográfica brasileira”.

Nesta primeira edição, haverá exibições de filmes na praia, em espaços públicos do centro de Ipojuca, além dos distritos de Nossa Senhora do Ó e Camela. O festival também vai promover um circuito gastronômico e cultural em Porto de Galinhas. “Além de oferecer um diferencial que encanta milhares de visitantes, o festival vai ao encontro do nosso objetivo de reforçar a agenda de eventos culturais de Porto de Galinhas e incrementar a experiência de viagem”, ressalta Otaviano Maroja, presidente do conselho do Porto de Galinhas CVB.

Um júri será composto por diretores e produtores de cinema, além de professores da rede pública de ensino. Os vencedores de cada categoria serão premiados com um troféu elaborado pelo artista plástico local Carcará, que assina as esculturas de galinhas que enfeitam a praia.

FONTE: TRAVEL3

http://www.travel3.com.br/noticia.php?julho-tem-cinema-em-porto-de-galinhas-5960

Taxas ambientais ajudam a preservar destinos de natureza

taxa ambientalApaixonada por natureza, sol e praia, a maranhense de 33 anos, Danielle Arouche, sempre quis conhecer o paraíso ecológico de Fernando de Noronha, em Pernambuco. Quando finalmente esteve lá, no fim do ano passado, encontrou praias preservadas, cavernas históricas, gastronomia abundante e um ambiente seguro. Pelos sete dias em que esteve no arquipélago, desembolsou cerca de R$ 320 para o pagamento da Taxa de Preservação Ambiental (TPA), cobrada e arrecadada pelo governo do estado para garantir o cuidado do local.

Assim como em Noronha, outros destinos brasileiros recolhem impostos para a entrada ou estadia de visitantes, que são investidos em infraestrutura, limpeza pública, saneamento básico, desenvolvimento de projetos ambientais e sistemas de controle do fluxo de turistas, para evitar excesso de visitantes na alta temporada. A tarifa é respaldada pelo Código Tributário Nacional, que autoriza municípios a instituírem a arrecadação de tributos para controle, proteção e preservação do patrimônio ambiental e ecológico.

Para o ministro do Turismo, Henrique Alves, a proteção ao meio ambiente é uma garantia ao desenvolvimento sustentável do país. “É necessário criar um trabalho de conscientização, que favoreça o crescimento local sustentável, a preservação da natureza e a qualidade de vida da população”, afirma.

Em Fernando de Noronha, a taxa, no valor diário de R$ 51,40, foi instituída por uma lei estadual e é cobrada por pessoa de acordo com o total de dias de permanência na ilha. A Taxa também é cobrada em Morro de São Paulo, na Bahia. Lá, o tributo foi estabelecido pela Lei Complementar 387. Ele é cobrado de uma única vez, no valor de R$ 15 por turista. Em Ilhabela, São Paulo, a tarifa é cobrada por veículo, conforme lei distrital. Apenas nos meses de janeiro a abril deste ano, a arrecadação rendeu aos cofres da prefeitura R$ 1,59 milhão, investidos em projetos ambientais, na aquisição de veículos para operações ligadas ao meio ambiente e no tratamento do lixo.

Em Santa Catarina, instituída com base na competência tributária municipal, a prefeitura de Bombinhas também cobra a entrada de visitantes por veículo nos meses de alta temporada – de novembro a março – para minimizar os impactos ao meio ambiente causados nesse período. De acordo com a prefeitura, do início do ano até abril, foram arrecadados R$ 3 milhões. Os frutos da cobrança foram percebidos pelos turistas, com a limpeza e instalação de 580 lixeiras e 60 banheiros públicos nas praias.

Arrecadação de ingressos

Não são apenas nas ilhas que são cobradas taxas administrativas para conservação ambiental. Nos Parques Nacionais do Brasil, administrados pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), os visitantes devem pagar para entrar nas áreas destinadas ao uso público, como trilhas, travessias e áreas de difícil acesso. A cobrança de ingressos foi definida em portaria instituída em 2009 pelo Ministério do Meio Ambiente.

Os valores variam conforme o perfil do visitante: brasileiros ou estrangeiros residentes no país pagam metade do ingresso cobrado aos turistas estrangeiros. São isentos de pagamento o visitante brasileiro ou estrangeiro com residência permanente no Brasil com mais de sessenta anos, crianças, estudantes e acompanhantes em visitação escolar, pesquisadores, e guias de turismo, entre outros. Além disso, as administrações dos parques oferecem descontos a todos os turistas nos períodos de baixa temporada para estimular a visitação.

A arrecadação é destinada a ações de melhorias diretas nos parques com reformas e manutenção de trilhas, sinalização, distribuição de material informativo, além de criação e manutenção dos centros de visitantes. Os valores dos ingressos para acesso aos Parques podem ser conferidos no site do ICMBio.

Fonte: MTur, Tatiana Alarcon