ISTAMBUL: MAGIA ENTRE PALÁCIOS E MESQUITAS

Capa abre

Surpreendente, encantadora, fascinante. Vários são os adjetivos capazes de definir Istambul, a maior cidade da Turquia. Dividida entre a Ásia Ocidental e a Europa – apenas 3% do seu território -, reúne tudo o que um turista pode desejar em uma viagem. História, belezas naturais, gastronomia, compras e muito mais. Repleta de palácios, mesquitas, igrejas e bazares históricos, a cidade tem uma atmosfera mágica e singular. Principalmente na primavera, quando fica enfeitada com mais de 3 milhões de tulipas plantadas em praças, parques e canteiros à beira das ruas.


Em Istambul, o Oriente e Ocidente estão divididos pelo Estreito de Bósforo. Pare sobre uma das pontes ao entardecer e observe suas margens iluminadas por uma delicada luz avermelhada refletindo sobre o que foi a capital do Império Romano, de Bizâncio e do Império Otomano. O visual é deslumbrante e o cenário da antiga Constantinopla retrata o esplendor da cidade, que teve passado glorioso com 2 mil anos de história e hoje vive dias de modernidade e efervescência. Para entender melhor Istambul, nada como começar com um cruzeiro pelo Bósforo. Embarque em um dos catamarãs que cruzam o estreito e tenha uma visão privilegiada dos seus principais pontos turísticos, como a Torre de Gálata e a Torre de Leandro, além de admirar o skyline da cidade pontilhada por edifícios modernos e inúmeras mesquitas.

Istambul

Rica em história e tradições, as zonas históricas de Istambul foram declaradas Patrimônio da Humanidade pela Unesco, em 1985, pelos seus importantes monumentos e ruínas. Mas se engana quem pensa que Istambul é uma cidade velha e presa a hábitos antigos e tradicionais do seu povo. Por toda a parte vê-se muitas jovens de cabelos coloridos e maquiagem exagerada, misturadas às mulheres muçulmanas com seus véus sobre a cabeça. Os principais pontos de atração turística de Istambul estão no lado europeu, na região conhecida como Chifre de Ouro. São mesquitas, igrejas, sinagogas e palácios históricos que merecem uma visita. É o caso da antiga Basílica de Santa Sofia, a Mesquita Azul e o Palácio de Topkapi. Todas atrações imperdíveis.

Mesquita azul

A Mesquita Azul – ou Mesquita do Sultão Ahmed – é uma das obras-primas que a cidade ostenta com orgulho. Localizada em frente da Basílica de Santa Sofia, também conhecida como Hagia Sophia e separadas por um belo jardim, é a única em Istambul que possui seis minaretes. O magnífico interior da Mesquita Azul recebe a luz que entra através de 260 janelas em 36 cúpulas, iluminando os mais de 20 mil azulejos de Izmir que decoram suas colunas e arcos. Foi construída entre 1600 e 1616 e conta a lenda, que o sultão Ahmet pediu ao arquiteto um minarete de “ouro”, o que teria sido entendido como “seis”. Ambas as palavras têm som similar no idioma turco. Não importa se é verdade ou não, pois o resultado ficou primoroso.

Os turistas usam uma entrada específica e dentro da mesquita também ficam separados dos muçulmanos. Um enorme tapete forra todo seu interior. Não é permitida a entrada com sapatos, sendo necessário tirá-los à porta. Há saquinhos para guardá-los. Pessoas com roupas que mostrem os ombros e pernas são impedidas de entrar. Portanto, é recomendável usar roupas discretas e levar lenços ou pashiminas para cobrir a cabeça, ombros e pernas.

Atravesse o jardim e vá até a Hagia Sofia. Ela é espetacular. A igreja, inaugurada em 360 d.C. suportou os ataques dos conquistadores, revoltas populares, incêndio e terremotos. Em 1453, o sultão do Império Otomano, Mehmet II, conquistou Constantinopla e ordenou que a catedral bizantina fosse convertida em uma mesquita.

Basílica de Santa Sofia

Seus mosaicos foram cobertos, pintados e rebocados. Descobertos no século 19, foram restaurados minuciosamente e novamente exibidos a partir de 1931. Três anos depois, Mustafa Kemal Ataturk ordenou que Santa Sofia fosse transformado em um museu.

Próximo delas está outra preciosidade, o Palácio Topkapi, que foi sede do Império Otomano durante quatro séculos. Construído no século 15 após a queda de Constantinopla, tem amplos jardins e uma rica coleção de arte. Os salões do harém do sultão guardam um magnífico tesouro, joias, armas e vestimentas da época.

Na mesma região também estão a Mesquita de Solimão, o Grande Bazar e os restos das antigas muralhas da cidade.

Nos arredores da Mesquita Azul também estão outros importantes pontos de atração turística. Um pouco da história de Constantinopla pode ser apreciado no Museu dos Mosaicos do Grande Palácio, localizado em uma rua atrás da Mesquita. O chão do antigo Grande Palácio de Constantinopla era coberto por um mosaico gigante, com cerca de 4 mil metros quadrados. Uma parte foi restaurada e aberta à visitação.

Em uma praça em frente – Sultanahmet – está a área onde na época do Império Bizantino funcionou o Hipódromo de Constantinopla, ponto de encontro e coração da vida política e social da cidade. No local aconteciam corridas de cavalos, desfiles e outros eventos. Do antigo hipódromo sobraram apenas alguns monumentos como o Obelisco Teodósio, que foi feito no Egito, e a Coluna Espiral, também conhecida como Coluna da Serpente, já que tinha três cabeças de serpente em seu topo.


EM SINAL DE RESPEITO, A ORDEM É PECHINCHAR

Fazer compras é uma das atrações mais divertidas da cidade. Pedir descontos não é só uma maneira de economizar, mas uma forma de mostrar respeito aos rituais de um povo que tem o comércio como principal atividade desde os persas. A ordem é pechinchar muito e sempre. Desde um cafezinho até um tapete que pode custar alguns milhares de euros. Os principais templos do consumo em Istambul são o Mercado das Especiarias e o Grande Bazar, locais onde as negociações podem demorar horas e sempre regada a chás de maçã.

Istambul

O Grande Bazar pode ser considerado o primeiro grande shopping center construído na história do mundo. O complexo comercial reúne cerca de 4 mil lojas em um infindável labirinto de ruelas. Em seu interior, cores, aromas e sabores se misturam em meio a uma algazarra com pessoas de todo o planeta comprando de tudo. De preciosos tapetes a roupas e peças de artesanato, passando por joias e especiarias. A infraestrutura de serviços inclui cafés, restaurantes e banheiros. O acesso pode ser feito por diversos portões, entre eles o Beyazit, Carsikapi, Nuruosmaniye e Orunculer.

Depois de exercitar seu poder de negociação e pechinchas no Grande Bazar, não deixe de visitar outro interessante polo de compras em Istambul, o Bazar de Especiarias. Desde o século 17, o chamado Yeni Camii, concentra o comércio de especiarias na cidade. Atualmente, oferece outros produtos aos consumidores, que além das fantásticas especiarias podem comprar também caviar do Mar Negro e diversos tipos de suvenires. Abre de segunda a sábado, das 8h às 19h.

Já o roteiro de visitas às mesquitas de Istambul deve passar necessariamente também pela imponente Mesquita Süleymaniye, também conhecida como Mesquita de Solimão. Construída em homenagem ao maior de todos os sultões, Solimão, o Magnífico, o grande complexo guarda o tumulo do monarca e de seus familiares.

Do outro lado do Chifre de Ouro está a vibrante região comercial de Beyoglu, onde a Torre de Gálata se destaca no alto de uma colina. Ela é o lugar ideal para apreciar a cidade do alto. Com 66 metros de altura, domina a paisagem de Istambul. Programe a vista para o final da tarde para aproveitar o esplendoroso pôr do sol. No local há, também, cafés e um restaurante com visão de 360 graus da cidade. Construída sobre as fundações de um farol bizantino no século 14, a antiga fortaleza genovesa oferece uma incrível vista do Bósforo e das mesquitas do Chifre de Ouro.

Istambul

Na mesma região estão algumas belas igrejas, mosteiros e edifícios históricos. Muitos desses edifícios foram transformados em charmosos ateliês, restaurantes e hotéis-butique. O Palácio de Dolmabahce, uma luxuosa residência do período do sultanato otomano é a principal atração do bairro. Em meados do século 19, o sultão Abdul Mecit, cansado do Palácio de Topkapi, projetou a sua nova morada. Ele queria um mais moderno e que atendesse todas as suas necessidades. Para tanto, não poupou recursos para construir o palácio. Seus ambientes luxuosos incluem um lustre que veio do Reino Unido, uma escadaria de cristal encomendada à Baccarat e torneiras de prata maciça no banheiro principal. Até o Salão Azul, ambiente utilizado pelas mulheres do harém, possui objetos e decoração de luxo. Foi a residência de seis sultões e local onde faleceu o primeiro presidente da Turquia, Mustafa Kemal Ataturk. Abre diariamente das 8h30 às 16h. Fecha às quintas. É recomendável chegar cedo, pois há um limite diário de visitantes.

As antigas muralhas de Constantinopla também valem uma visita, apesar de estarem um pouco afastadas da região central da cidade. No local também a igreja de São Salvador em Chora. Construída no século 11, concentra mosaicos bizantinos de inestimável valor, além de obras que narram passagens da vida de Cristo e de Maria. Entre elas, destaque para “Sono da Virgem” e “Jornada a Belém”. Fecha às quartas-feiras.


BANHOS TURCOS – EXPERIÊNCIA E RELAXAMENTO

Istambul

Quem nunca ouvir falar dos famosos banhos turcos? Portanto, quando estiver em Istambul não deixe de incluir essa experiência singular. O ideal é programar essa parada para o relaxamento na fase intermediária da viagem. Localizadas em edifícios históricos, oferecem sauna a vapor e vigorosas massagens. Relaxe e recarregue as energias antes de dar sequência ao roteiro de visitas.

Os banhos turcos – o hamam – são rituais enraizados na cultura turca há séculos, tanto para homens quanto para mulheres. Entre os estabelecimentos
mais antigos e tradicionais da cidade estão o Çemberlitas e o Cagaloglu. Construído em 1584, o Çemberlitas Hamami é um verdadeiro ponto turístico no centro histórico de Istambul. O lugar é grandioso. O pé direito é bem alto e o teto tem formato de domo com aberturas por onde passam feixes de luz.

Já o Cagaloglu Hamami funciona em um prédio construído pelo sultão Mehmet I, em 1741. Disponibiliza tratamentos que vão desde um simples banho até massagens sobre mesas de mármore. Contam por lá que o setor masculino já foi frequentado por figurões como o rei da Inglaterra, Edward VIII, e o astro de Holywood, Harrison Ford. Abre diariamente, das 8h às 22h.

Além das várias casas de banhos turcos tradicionais há, também, outras funcionando nos hotéis de luxo da cidade. Caso do Four Seasons Bosphorus, por exemplo.

Outra atração entre as mais visitadas da cidade é a Cisterna da Basílica. Istambul tem várias cisternas mas essa é a mais importante. Foi construída no período bizantino – ano 532 – para guardar a água para o Grande Palácio e outros edifícios próximos caso seus aquedutos fossem destruídos durante alguma invasão. A cisterna, localizada nos arredores da Basílica de Santa Sofia, tem capacidade para armazenar 80 mil metros cúbicos de água. O teto tem 9 metros de altura e é suportado por 336 colunas de mármore que estão dispostas em 12 filas de 28 colunas cada. As colunas mais famosas são as duas que estão apoiadas em estátuas com a cabeça da medusa.

Mas não pense que Istambul vive apenas das antigas heranças culturais do Império Otomano. Quando o sol se põe e a noite chega, um mundo de atrações tem início por todas as partes da cidade. As baladas mais agitadas estão no bairro de Taksim. É nessa região que estão badalados bares e restaurantes, além de diversão para todos os gostos. E tem de tudo um pouco. Basta caminhar pela rua principal do bairro – Istiklal Street – para se deparar com casas tocando música eletrônica, árabe e até brasileira. Ao final da viagem, certamente ficará um sentimento de que Istambul merecerá uma nova visita. E merece, acredite.

O jornalista viajou a convite da Turkish Airlines, Arar Tours – www.aratur.com.tr – e contou com a cobertura do seguro-viagem GTA – Global Travel Assistance.

FONTE: REVISTA QUAL VIAJEM

http://www.qualviagem.com.br/istambul-turquia/

FISCALIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE TURISMO

No próximo mês de fevereiro entrarão em vigor os termos instituídos pelas Portarias nos 311 e 312, ambas de 3 de dezembro, editadas pelo Ministério do Turismo. De acordo com as novas portarias, servidores vinculados ao Ministério do Turismo ou aos órgãos delegados, devidamente treinados e habilitados como agentes fiscais de turismo, poderão advertir, multar, interditar, aplicar o cancelamento da classificação na qual o serviço estiver inserido e até mesmo pedir o cancelamento da atividade daqueles que atuam no mercado com ou sem cadastro no Ministério. Todas essas penalidades estão previstas na Lei nº 11.771, de 17/9/2008, e no Decreto nº 7.381, de 2/12/2010, que a regulamenta.

Com multas que poderão variar entre R$ 453,00 e R$ 854 mil (Anexo III do Decreto nº 7.381/2010), a irregularidade ou a infração será sancionada mediante um auto de infração, a ser preenchido por um dos fiscais que participar da blitz, a qual preferencialmente deverá ser realizada em dupla. Serão concedidos de 5 a 30 dias para correção do problema. A fiscalização terá origem por meio de denúncias e reclamações sobre o cumprimento de contratos e outros compromissos relativos à prestação de serviços ou de transporte turístico, atividades que devem fazer parte do Cadastro dos Prestadores de Serviços Turísticos do Ministério do Turismo (Cadastur/MTur).

As denúncias poderão ser apresentadas, pessoalmente pelo interessado ou por telegrama, carta, e-mail, fac-símile ou outro meio de comunicação, ao órgão delegado da unidade federativa em que se encontra o estabelecimento denunciado ou diretamente ao Ministério do Turismo pelo e-mailouvidoria@turismo.gov.br (§ 2º do art. 9º da Portaria nº 311). O interessado deverá fazer a identificação pelo nome, CNPJ e endereço do estabelecimento que descumpriu as normas. Se houver descumprimento de contratos e outros compromissos de transportes, e estes não forem sanados pela empresa contratada, a denúncia deverá ser levada aos órgãos de defesa do consumidor existentes no Estado da prestação do serviço. Já as reclamações referentes às condições de prestação dos serviços de transporte turístico de superfície terrestre nacional e internacional deverão ser encaminhadas para o e-mail da Ouvidoria do Ministério de Turismo ou efetivadas pelo atendimento telefônico gratuito: 0800 606 8484 (parágrafo único do art. 27 da Portaria nº 312). A fiscalização em si ocorrerá pela expedição de um termo de fiscalização, emitido pela autoridade competente do Ministério do Turismo ou do órgão delegado, designando o local e o motivo da denúncia. Constatada a irregularidade, o fiscal, antes de lavrar o auto de infração, poderá emitir uma notificação prévia e estabelecer um prazo para reparação, sendo que, para esse ato, não cabe recurso.

Serão consideradas infrações, conforme à Lei nº 11.771/2008:

-prestar serviços de turismo sem o cadastro no MTur ou com ele vencido;

-não solicitar renovação do cadastro;

-não manter livro de registro de reclamações e o certificado de cadastro ou de classificação em local visível;

-deixar de apresentar, no prazo estabelecido pelo MTur, informações e documentos referentes ao exercício das atividades de turismo, empreendimentos, equipamentos e serviços, bem como ao perfil de atuação, qualidades e padrões dos serviços oferecidos;

-omitir dos impressos e materiais de divulgação e promoção o número de cadastro, símbolos e expressões identificadores determinados pelo MTur;

-não apresentar os dados e informações sobre o perfil dos hóspedes, a quantidade de hóspedes registrados, taxa de ocupação, permanência, média e números de hóspedes por unidade habitacional.

As infrações podem ser classificadas como leves ou graves, sendo conferido para a sua regularização o prazo de 15 dias, sob pena de multa. A imposição de multa, o cancelamento da classificação, a interdição de local, das atividades, da instalação, do estabelecimento empresarial, do empreendimento ou do equipamento, bem como o cancelamento do cadastro, poderão ocorrer isolada ou cumulativamente.

Caso o prestador venha a receber apenas uma advertência, não estará dispensado de corrigir a irregularidade; e, se não observado o conteúdo da advertência, haverá incidência de multa ou aplicação de penalidade mais grave. Havendo o cancelamento da classificação, o nome do prestador será retirado do rol de serviços turísticos existente no site do Ministério do Turismo. Já o cancelamento de cadastro ensejará a paralisação dos serviços e apreensão do certificado de cadastro, tendo o infrator até 30 dias, contados da sua ciência, para regularizar os compromissos assumidos com os consumidores. E, ainda, durante esse período não poderá assumir novas obrigações. Os cancelamentos já mencionados, bem como as interdições, acarretarão a perda total ou em parte dos benefícios, recursos ou incentivos concedidos ao prestador de serviços turísticos.

No que concerne à atividade de guia de turismo, serão consideradas infrações as atividades praticadas pelo prestador elencadas no Decreto nº 946/1993, e o exercício da atividade sem o cadastro no MTur implicará o prestador nas penalidades da Lei nº 11.771/2008. Já a pessoa que exercer as atividades de guia de turismo sem o cadastro comete contravenção penal e fica sujeita à penalidade do art. 47 do Decreto-Lei nº 3.688/1941, ou seja: pena de prisão simples, de 15 dias a 3 meses, ou multa; e o não pagamento dessa multa ensejará a inscrição do débito na Dívida Ativa da União. Entretanto, mesmo que haja a apuração das infrações denunciadas e a aplicação de penalidades ao guia de turismo, estas não impedirão que o respectivo órgão de classe aplique outra punição pelo mesmo fato. Por fim, no que concerne à legislação ambiental e consumerista, de acordo com o art. 16 da Portaria nº 311, o prestador de serviços turísticos que exercer atividades em desacordo com as leis vigentes estará sujeito às penalidades previstas no art. 43 da Lei nº 11.771/2008.

Fonte: Boletim AASP nº 2871

Agaxtur lança aplicativo para agentes de viagens

A Agaxtur lançou um aplicativo que leva o mesmo nome da operadora e é voltado a agentes de viagens, trazendo promoções, novidades, cursos e treinamentos, além de campanhas exclusivas. Por meio dele os agentes também têm acesso a itens como galeria de fotos, e-mails marketing, cadernos e folhetos mais recentes, bloqueios aéreos e envio de recados no mural ou via correio de voz.

“Buscamos uma forma moderna e dinâmica para aperfeiçoar nossa parceria e a nossa comunicação com o agente de viagens”, diz o presidente da Agaxtur, Aldo Leone Filho.

Com download gratuito, o aplicativo está disponível nas versões para Apple/ios e Android.

FONTE: PANROTAS / Karina Cedeño

http://www.panrotas.com.br/noticia-turismo/tecnologia/2015/02/agaxtur-lanca-aplicativo-para-agentes-de-viagens_111091.html

Empetur (PE) tem nova diretora comercial

edtempeturbtlLISBOA – A Empresa Pernambucana de Turismo (Empetur) contratou Sylvia Costa como diretora comercial. A executiva, que está no cargo desde meados de janeiro, está tendo sua primeira experiência com Turismo. Antes, porém, ela atuou no marketing de multinacionais como Coca Cola e na rede de televisão Globo.

“O marketing sempre esteve ligado ao comercial. Meus objetivos principais são manter o relacionamento com o trade e gerar demanda do destino com o público final”, afirmou Sylvia Costa (foto), que pela primeira vez participa da BTL, em Portugal.

Na BTL, a diretora está apresentando os principais potenciais de turismo de Pernambuco, com destaque para Recife, Olinda, Porto de Galinhas e Fernando de Noronha.

Portal PANROTAS viaja a convite da Tap com proteção GTA

Fonte: http://www.panrotas.com.br/noticia-turismo/gente/2015/02/empetur-pe-tem-nova-diretora-comercial_111070.html, Diego Verticchio